Como a vida moderna nos esgotou

Tenho refletido ultimamente sobre aspectos e comportamentos que estamos criando de forma silenciosa.

Diariamente somos bombardeados com informações, redes sociais, aplicativos, e-mails e notificações.

Confesso, meu cansaço mental no final do dia é intenso, culpa do excesso de informação.

Nosso tempo é demasiadamente dinâmico e a tendência é piorar. Diversos empresários, querem o mundo cada vez mais conectado.

A pandemia reforçou de forma negativa, o excesso de trabalho, cansaço e burnout.
Mais telas, toques, sensações artificiais, pouco tato, pouco afeto.

Receio que iremos nos tornar artificiais. Perdemos a capacidade de admirar o ordinário.

Permita-me lhe perguntar: qual foi a última vez que admirou os céus? Ou parou um pouco para ver um pai brincando com seu filho?

Esquecemo-nos das bela criações, tudo tão automático. Vá por mim, ser analógico tem seus requintes.

Não se esqueça somos de carne e osso, precisamos de descanso. Necessitamos do ócio criativo, as grandes genialidades da humanidade vieram dele.

Talvez o que precisamos é um momento de reflexão, onde será que você se perdeu? A rotina, cansaço, cobranças da vida adulta afogaram aquele sonhador.

Ainda há tempo para priorizar o que importa, afinal o que te importa? 

Empregos, promoções, realizações profissionais tudo tem um fim. E quando acaba o que resta é você, somente você.

Nunca se ouviu falar tanto sobre doenças mentais, como depressão, síndrome do pânico, ansiedade.

Devemos parar, o caminho por sucesso a todo custo está nos matando, uma morte lenta e diária.

Mas ainda há tempo, tomar as rédeas das nossas existências é necessário. Não estamos bem e não é sobre isso.

Estamos doentes carecendo de uma mão amiga ou talvez recostar no peito de alguém e desabar.

Em um livro que atravessa os milênios está escrito algo verdadeiro: 

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. 

Mateus 11:28-30

Artigos recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.