Pular para o conteúdo

Não confie 100% em validações automáticas

Pulis Letters – Edição
Tempo de leitura: 3 minutos

Olá,
Essa semana eu vi algo curioso no X, uma pessoa postou esse print do Lighthouse batendo o score de 100% de acessibilidade.

Score do Lighthouse com todas as validações em 100%

Sempre que vejo essas coisas, fico com a pulga atrás da orelha e me pergunto: Será mesmo?

Bom, eu sou curioso.

Fui checar o site pra surpresa de zero pessoas, tinha um monte bugs. 😥


O que é o Lighthouse?

O Lighthouse é uma ferramenta de auditoria que ajuda desenvolvedores a melhores diversos pontos de aplicativos web, como:

  • Performance;
  • Acessibilidade;
  • Boas Práticas;
  • SEO.

Todos os itens que Lighthouse aponta são válidos, mas no caso de acessibilidade devemos ficar atentos.

Vou explicar o porquê, mas antes você precisa entender alguns pontos

Até aqui, tudo bem, certo? Errado!

Vou te explicar porquê.

O Lighthouse é confiável?

Sim! Todas validações tem fundamento técnico e fazem sentido, mas quando o assunto é acessibilidade não podemos nos limitar só na validação automática.

Para fixar: você que está aprendendo ou até mesmo começando com acessibilidade, não caia na fake news que uma IA ou alguma ferramenta vai resolver todos os problemas de acessibilidade.

Fuja com todas as suas forças desse tipo de abordagem. Acessibilidade diz a respeito de uma coisa que poucos sabem bem: HTML.

Me lembrei do artigo Building the most inaccessible site possible with a perfect Lighthouse score do Manuel Matuzović.

Se você não conhece, vale a pena segui-lo.

Vou listar depois algumas referências de frontends bons em acessibilidade para você acompanhar.

Aonde eu estava? Ah sim, quando li esse artigo fiquei chocado e surpreendido.

Qual o problema afinal?

O grande problema é que queremos um resultado quase instantâneo para algo que se leva tempo. Assim como tudo na vida, pra ficar bom em algo o teste do tempo é a melhor escola.

Para garantir a acessibilidade em qualquer site, devemos:

– Usar o leitor de telas;
– Verificar a estrutura do HTML;
– Checar a AOM (Accessibility Object Model);
– Testar e testar.

Mesmo você sabendo pouco ou quase nada, tenha em mente: acessibilidade se faz com várias ferramentas e não existe bala de prata.

Por isso e outras motivos estou empolgando com a mentoria que vou lançar.
Acredito que pode ajudar muitas pessoas que querem de fato aprender sem enrolação.

No mais é isso!

SDG,
Pulis.

Gostou do post?

Eu me esforcei muito para manter este site e gosto muito de interagir com meus leitores.

Meu combustível preferido é o café, então se você gostou deste post, ou achou-o útil, considere me apoiar. ❤️

Você pode me apoiar pelo ou .